quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Prosa para um poeta I.

Na foto: Avenida 7, Salvador - Ba.

Um encontro totalmente diferente de todos os outros que ele teve. Onde já se viu ver uma mulher sozinha no bar? E ainda te digo mais: ela escrevia. Que coincidência... Ele também. Não foi preciso muito tempo para o mesmo tomar coragem de ir falar com a moça. Cinco segundos ou menos. Acredite, em cinco segundos dá para pensar em muita coisa. Pensar? Mudem esse verbo para agir. E foi o que ele fez: agiu. Foi até ela, como quem nada queria, puxou um espaçozinho para uma prosa. A conversa estava boa, mas ele precisava ir. Ela? Nem tanto. Tinha a tarde toda para continuar ali sentada. Então, ele saiu. Foi fazer o que era para ter feito antes de conversar com a tal. Só que durante o caminho, ele só pensava naquela conversa que não saia da cabeça. A forma de exaltar a Grécia, o jeito de reclamar sobre a falta de criatividade nos seus textos, a maneira como ela falava... Enfim, foram várias coisas que fizeram com que ele não parasse de pensar nela. E para dar um "up" na vida ou até mesmo para fazer uma cena de cinema imaginário, ele voltou. E lá estava ela: sentada na mesma cadeira, observando a vida alheia. Sentou ao lado dela, continuou a antiga prosa. E essa prosa era uma das prediletas dele: pessoas diferentes se identificam com pessoas diferentes, sabiam? O que ela dizia, ele completava. Do que ela falava, ele ria e adorava. Mas as horas passam e já era hora dele ir trabalhar. E antes que ele fosse, ela o deu uma luz (ou uma proposta? que seja!). Apartamento mil e seis. Essa foi a última coisa que ele escutou. Ele ainda vai voltar para perguntar onde fica o prédio em que ela mora. Ele pensa em voltar para aquele mesmo bar. Ele pensa. Por enquanto só pensa!

9 comentários:

André disse...

Espectativa e frio na barriga. Será que se encontrarão?

Oaiana Marques disse...

Quuuero saber o finaaal, amiga!
Continuuuua, continuuua ! :D

CátiaSofia disse...

Para certas pessoas, à conversas, frases ou mesmo palavras que por mais que simples sejam, marcam.


Gostei da história, tão simples mas linda.


Beijo+.+

.tai. disse...

Agora fiquei curiosa. O pensamento é o primeiro passo para a ação. =D
bju

Déxi disse...

Gostei da história... Qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência, nunca algo assim poderia acontecer;;; cena de cinema? coisas de amantes retrô flutuantes pelo limbo do tempo.

Tipo, mulher, sozinha, no bar, escrevendo??????? ham...

Déxi disse...

E arruma esse celular;; pra eu t ligar esse fim de semana, jazz no mam, etc..

Le Chanceux disse...

Rapaz diz:
ele pensa demais
Rapaz diz:
devia ir logo lá
Rapaz diz:
no bar
Rapaz diz:
no mesmo horário, no mesmo lugar
Rapaz diz:
(língua)

Vitor Andrade disse...

Muito bom. Uma colega de sala inspiradora. rs
E descobri mais uma paixão em comum: Chico.
"Sábios em vão, tentarão decifrar..."
E ninguém fez nada tão bonito quanto "O meu amor"...

...tem um jeito manso que é só seu...'

Matheus Sobral. disse...

Queue gostoso o ritmo dessa história! Gostei demais.
É engraçado que as vezes isso acontece de verdade. A afinidade deve ser o parente mais próximo do amor.
Espero que quando ele voltar no bar, ela esteja lá.