segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Para a dona dos oceanolhos.


Devo adimitir que me irrito muito com você. Que sinto vontade de te encher de murro e dar uns gritos no seu ouvido para você tomar jeito. Mas quem sou eu para mudar alguma coisa? Aliás, porque eu faço isso mesmo? Não sei se você conhece, mas isso se chama amor. Lembra o duro que dei para te agradar? E ainda mais: lembra de tudo o que eu já fiz por você, querida? E quer saber de uma coisa? Faria isso tudo de novo! Não sabe o quanto é bonito sentir frio na barriga por ouvir suas palavras de felicidade. Não sabe o quanto é doloroso ver você chorar. Não sabe o quanto é engraçado ouvir suas piadas. Seus relacionamentos, seu riso, seus olhos, seus surtos, suas manias, seu tom de voz... Você, em geral, é uma das coisas que eu mais gosto nessa vida. E sabe porque, Polizinha? Porque somos amigas, porque eu te amo e porque você existe. Obrigada por me deixar desfrutar do laço que criamos.

4 comentários:

Poliana Madureira disse...

Você não sabe o quanto fiquei e estou emocionada por suas palavras.
Eu te amo demais.

CátiaSofia disse...

Que palavras lindas, notase mesmo que adoras imenso essa tua amiga^^_


Gostei, beijo grande querida!

Oaiana Marques disse...

ounnnnn
que lindo! (L)

.tai. disse...

Que lindo, eu ficaria de fato muito feliz se recebece algo assim, muito lindo mesmo.