sábado, 9 de janeiro de 2010

Sobre o chão da sala e Cartola.

Os dois na maneira que o momento pedia: juntos. Mãos dadas, corações e beijos em sincronia. Tudo na mais perfeita ordem. Pelo menos para eles que não ouviam gotas no vidro da janela, não percebiam a chuva entrar pela janela da parede à esquerda, do gato que miava de fome, do copo de cerveja que estava ficando quente, de Cartola cantando como-contente-ao-teu-lado-estou e das horas que passavam rapidamente.
As horas, os beijos, o fogo, o amor, os dois, o chão da sala e tudo aquilo aquece o nosso coração.
Ele, ela e mais uma vez: o amor.

15 comentários:

Flor disse...

E que amor.

Belo.

Charlie B. disse...

Sim, é o amor, ele de novo, sempre o amor.

Ah, belo.

Charlie B.

Ludmila Rodrigues disse...

e é assim mesmo que é.

Mariah disse...

para o amor urgente não tem lugar...nem hora!

babi disse...

deu uma saudade imensa do meu namorado, :P

Anthony Dostoiévski disse...

'Tive sim, mas comparar com o seu amor seria o fim..."

belo texto moça
braço

Rafaela disse...

Que lindo isso, Amandela. =)

Suellen Brito disse...

e ele é simples assim.

beijos

Maria Anita. disse...

que coisa mais linda.

Moreira disse...

Pra dizer da minha saudade e de como, sempre, são belas as suas palavras!

HNETO disse...

Cartola,
a aquecer.

Ná Lima disse...

Um bonito e quente amor.

Tatiane Trajano disse...

Simplesmente..amor!
Cartola?
Aquece!

Lelli Ramz disse...

Olá querida,


e de um blog a outro... olha onde cheguei.. realmente vc está de parabéns e eu já estou t seguindoooo

adrei o texto, pensei mto no meu find q foi bem assim... perfeitinhoooo

bjinhus, amores e cartolas

Lelli

Caio Nogueira disse...

muito bom