segunda-feira, 20 de julho de 2009

Lembrar só para não esquecer.

Foto tirada na porta da casa de minha . Cachoeira - Ba

Sentou e esqueceu do tempo. 17:15, 17:15, 17:15... A impressão que ela tinha naquela hora era de congelamento temporal. Essas horas não passam? Foi o que Flora pensou enquanto observava os ponteiros do relógio. E nessa "observação", não percebeu que começou a fluir aquela nostalgia. Pensou nele. Pensou na música deles. Pensou...

"Aquele cheiro, som, imagem do teu corpo incendeia..."

Lembrava dos mínimos detalhes. Dos dois na porta do quarto, parando o pouco tempo que tinham. Naquela hora havia esquecido de tudo. Só pensava nele, tudo era para ele.

"E um rio carregado de saudade vem correr na minha veia..."

Lembrou dos beijos quentes, dos abraços, dos apertos...

" É como a luz da lua que atravessa a parede da cadeia: clareia mais forte que o sol!"

Lembrou que ainda tinha que seguir em frente, que já eram 17:16 e que desde que ele saiu de sua porta, nunca mais voltou. Então, para quê continuar pensando? Levantou e viveu. Aí as horas correram, passaram como vento...

Texto inspirado na música Na veia - Cordel do Fogo Encantado (Cliquem e acompanhem o texto com a mesma).

4 comentários:

Ramon Alcântara disse...

Ganhei o dia, conheci uma baiana (?) que fotográfa muito bem e escrever literatura! Maravilha!

add.
abz.

Nina disse...

amandinha!
tempo que não passo por aqui, faz tempo que tô sem tempo... :/
fico feliz de ler seu blog, acompanho seus contos, textinhos, pensamentos, ficções, relatos, metáforas e evolução... tens evoluído ein, menina! parabéns :0

beijo, nina.

Matheus Sobral. disse...

Do caralho!
a música, o texto.
passatempo, passa tempo.

Thiago disse...

será que só pra isso servem as lembranças?

amarela ♥