sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Capítulo I: A saída.

Realmente eu precisava de uma ajuda. Sim, eu me sentia feia, meio fora de moda, de peso e de mim. Cabelos mais estragados do que o pão que eu havia jogado no lado da pia há 15 dias, unhas mais feias do que a maior aberração existente, barriga... Bem, acho bom mudar um pouco de assunto.

Certo dia... Quer dizer, nesse dia que acabei de falar, acordei para vida. 16 dias sem ter ido ao trabalho, sem ter respirado o cheiro de poluição das ruas, sem exatamente nada. “Tpm talvez”, ouvi o vizinho dizer para o porteiro que batia na minha porta. Eu não sei muito bem o que foi aquilo, mas garanto que soube o que era ter dias que pareciam que não iam passar nunca.

No dia que acordei para a vida, fui à padaria comprar o pão de queijo que adoro, depois fui à feira – adoro frutas frescas, e, finalmente, fui ao salão.

- Joana, deixa eu te apresentar a nossa nova funcionária.

Camila. Nome da nova funcionária de 21 anos que havia acabado de chegar do Tocantins. O tipo de funcionária ideal para qualquer empresa: sabia fazer de tudo.


(O resto do texto está no meu projeto de livro. Aguardem).

5 comentários:

flor disse...

Hum, quero leeeer.

Kairo disse...

Gostei, esse livro será lindo.

doiseles. disse...

Fiquei curiosa...

Raí A. Freire disse...

E...
Quero mais, agora! RUM.
Saudades de você.

lucas disse...

já gostei do começo. quero ler esse livro ainda quentinho!